As novas tecnologias podem condicionar a criatividade?

Em 1 year ago

Neste artigo vamos abordar a questão da criatividade e de como as novas tecnologias podem estar ao mesmo tempo a melhorar o nosso desempenho no trabalho, mas a longo prazo a terem um efeito prejudicial a nível da criatividade.

Cada vez mais neurocientistas e psicólogos cognitivos reconhecem o papel do aborrecimento na criatividade. O vazio de entretenimento ou a repetição  de tarefas de forma mecânica parecem ter um efeito importante na ignição de um modo criativo no nosso cérebro.

O papel do aborrecimento na criatividade.

São esses momentos de vazio que nos permitem pensar para lá da consciência, e realizar conexões entre diferentes áreas. Olhar o passado e delinear a nossa própria narrativa pessoal, estabelecer objetivos futuros e pensar os passos necessários para os concretizar.

Vários investigadores começaram a dedicar-se a analisar as consequências de termos todo o nosso tempo ocupado com as novas tecnologias. Estaremos a ficar menos criativos em resultado do uso intensivo do IPhone e todas as aplicações inovadoras?

A nossa atenção é um produto.

Estudos indicam que a nossa capacidade de concentração diminuiu substancialmente nos últimos dez anos. Consultamos em média o e-mail 74 vezes por dia, e mudamos de tarefas 566 vezes por dia. Se uma parte é resultante das necessidades do trabalho, outra parte do stress é auto induzida, passamos tempo em aplicações sociais, jogos e nunca estamos em atitude de repouso.

Em consequência dormimos menos e com pior qualidade, e a nossa capacidade de concentração diminui mais em resultado da falta de sono.

Decorre uma luta comercial pela nossa atenção, a diferentes plataformas disputam o nosso tempo para que nos possam mostrar publicidade. Em ultima analise podemos dizer que a nossa atenção e tempo se tornou um produto, no Facebook as impressões têm um preço comercial para os anunciantes.

Atitude crítica perante a tecnologia.

Como em todos outros temas, o perigo não é a tecnologia mas a forma como vivemos com ela. Num primeiro passo, trouxe eficácia e uma enorme simplificação das nossas vidas, não é possível imaginar um negócio que não se apoie num software de faturação

Se queremos continuar a inovar, a criar startups e a pensar de forma criativa, vamos ter utilizar esta novas tecnologias de forma moderada e crítica. É necessário tempo sem distrações para continuarmos a inovar e gerar ideias tão extraordinárias como as que surgiram nos últimos dez anos.