A contratação

Em 4 years ago
Software de facturação online

Para James Malia, especialista na melhoria de rendimentos em PME, contratar um novo empregado é só um ponto de partida.

“Sentem-se muito mais à vontade quando conhecem toda a gente com quem vão trabalhar”, afirma. “Independentemente da função que os novos empregados vão desempenhar, toda a gente tem um papel vital para garantir que a empresa tenha êxito. É importante que sintam que fazem parte da equipa.”

Especialmente nas empresas pequenas, a maior parte da formação implica aprender através do trabalho.

“É desejável que trabalhem e contribuam o mais cedo possível. O maior custo de formar pessoal é o tempo que leva até que se tornem produtivos.”

Mas James previne-nos quanto a ter demasiada pressa. “Dê-lhes a oportunidade para perguntar como se faz e de terem novas ideias. Pode aprender algo novo e um meio de fazer com que os novos empregados se sintam parte da equipa.”

Se já tiverem outros trabalhadores, todos ganham se os incluírem também na formação. “Se lhes disser o quão bons são em determinado trabalho e lhes pedir que partilhem o que sabem com um novo empregado, apreciarão o reconhecimento.”

Para que a integração seja bem-sucedida, o empregado deve ter noção de todos os benefícios a que poderá ter acesso. “Oferecer as vantagens certas pode ser uma parte importante do processo, que não só o ajuda a atrair o pessoal adequado, como faz que seja menos provável que este vá embora.” Mas, como assinala James: “somos todos diferentes. Não se pode esperar que a mesma recompensa funcione com toda a gente.”

“Tem de entender o que é que faz sorrir cada um deles. Para alguns a motivação será o dinheiro ou os objectivos, para outros a chave pode estar nas conversas pontuais que os ajudem a integrar-se no negócio.” O toque humano é igualmente importante. “As coisas pequenas, como tomar um café com eles de vez em quando ou lembrar-se dos nomes dos filhos.”

Acima de tudo, lembrem-se de que são os vossos empregados quem consegue o sucesso da empresa. “É fundamental que os empregados se sintam parte do negócio: são o seu corpo e alma. Pode até ter o melhor produto do mundo, mas se não tem um pessoal com paixão pelo que faz, então faltar-lhes-á o entusiasmo e, portanto, farão um esforço menor.”